Dia da oração não é só um dia religioso

João Gonsalves 

 

Terapeuta fala sobre o autoconhecimento e sabedoria interior

O dia da oração começou no ano de 1887, criado por mulheres cristãs da época. Segundo o site da cidade de Porto Alegre, a data é comemorada em mais de 170 países.

A proposta do dia é de afirmar a própria fé e que, por alguns instantes, as pessoas possam parar para meditar sobre vários assuntos ou simplesmente se tranquilizar. Mas como alguém pode se tranquilizar se não se conhece?

O autoconhecimento é essencial para que o ser humano conviva bem consigo e com o próximo. Para o terapeuta transpessoal, pesquisador e escritor João Gonsalves, o autoconhecimento é essencial para que problemas pessoais ou não, possam ser resolvidos e até evitados. ‘‘Quando a pessoa se questiona com perguntas essenciais, ela acessa a sua sabedoria interior e consegue encontrar as respostas para seus problemas e até evitar problemas futuros’’, afirmou.

Para João, a oração pode ser uma conversa que alguém pode ter consigo mesmo e, em um momento de autoconhecimento, ter pensamentos bons que possam trazer sentimentos positivos para si e para quem está ao seu redor. ‘‘A gente chama de oração o que, na verdade, é um bate-papo com o que a gente acredita. A gente pode acreditar em nós mesmos e conversar em pensamento coisas boas, se isso te faz bem e te traz coisas boas, também vai te fazer se conhecer melhor, então pode ser chamado de oração’’, disse. ‘‘A palavra no dicionário quer dizer sermão, diálogo, então, um momento consigo mesmo, um momento de autoconhecimento é uma oração’’, finalizou.

O dia da oração é celebrado todo dia 2 de março, mas as pessoas podem tirar alguns minutos, todos os dias, para pensar e se autoconhecer melhor.

 

About the author: João Gonsalves

João Gonsalves
João Gonsalves é escritor ( do livro "Quem é você? Eu te ajudo a se lembrar") , terapeuta de autoconhecimento e pesquisador. Inventor da Autosofia

Deixe uma resposta